Harpa Madeirense

by

11_02_2008.jpgObra de Luís de Ornelas Pinto Coelho, que reúne as composições poéticas do autor sobre a Ilha da Madeira, Portugal e Brasil.

A MADEIRA AO DR. PEDRO JÚLIO VIEIRA

Pátria, ao pobre caminheiro
no seu dia derradeiro
da-lhe o jazigo final,

Do oceano entre, as vagas frementes,
onde o ceu mais se tinge de azul,
o eo’as auras suaves, cadentes, vem as
ondas rolando do sul,

tem seu throuo a Madeira, orgulhosa,
ergue a fronte a rainha do mar, o na
escuma das aguas, vaidosa, vae seu
manto de flores banhar.

Nas montanhas, cobertas de relva,
brotam jorros de puro crystal, ha
cardumes de rosas na selva, ha
gorgeios perennes no vali’.

De boninas o campo se veste,
de oiro é o sol, que o espaço allumia,
mil encantos de noite reveste,
o luar, mais formoso que o dia.

Pelas veigas, ridentes, amenas, se
matisa de flores o chão, onde as
moças, nas tardes serenas, v
ão do amor suspirar a canção.

Eis aqui minha terra odorante,
primavera de eterno brilhar, do
occidente qual perla gigante,
engastada na face do mar.

Quem viveu nestes montes agrestes,
quem sonhou seus amores aqui, nunca
olvida os encantos celestes d’este mar,
d’estes bosques, de ti!
(…), in Harpa Madeirense, pp. 5-7

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: